Graduação Pós-Graduação Pesquisa Extensão Biblioteca Intercâmbios Comunicação A FFLCH  
Skip to Content

Imagem

A estrutura argumental dos verbos na língua Juruna (Yudja)

Subtítulo: 
Da formação dos verbos para a análise das estruturas sintáticas
Autor(a): 
Suzi Oliveira de Lima
Área: 
Linguística
Ano: 
2011
Resumo / Abstract / Acta / Resumé / Riassunto
Resumo: 

 

Esta dissertação descreve e analisa os verbos da língua juruna (yudja) a partir de suas estruturas argumentais e consequências sintáticas. O objetivo é contribuir com um material para a escola indígena juruna assim como contribuir com os estudos teóricos da perspectiva gerativista de estudos sobre a linguagem. O texto é dividido em duas grandes partes (descrição e análise) sendo a primeira delas uma descrição de 302 verbos da língua. Nesta parte dividimos estes verbos em dezoito classes verbais a partir de critérios morfológicos, sintáticos e semânticos. Estes critérios foram estabelecidos a partir de características da língua, quais sejam estas: duplicação verbal, propriedades semânticas, afixos, causativização e propriedades das raízes - as quais associadas a verbalizadores formam os verbos. Nesta seção apresentamos quais são as construções e operações morfológicas que cada verbo descrito realiza (tais como: alternâncias de valência (por afixação e via alternância labile), duplicação e supleção verbal) e suas funções na língua. A segunda parte do texto denominada “análises” apresenta uma análise gerativa para os fatos da língua juruna. Para a questão da formação dos verbos, partimos da proposta de hale & keyser (1993; 2001) segundo a qual os verbos são formados de forma estrutural e hierárquica a partir de duas estruturas básicas (monádica e diádica) nucleadas por núcleos verbais (v1 e v2). Estas estruturas são utilizadas de forma paramétrica a partir de restrições das raízes verbais e seus traços sintáticos e semânticos. Considerando esta proposta teórica, argumentamos que os verbos da língua juruna são formados estruturalmente a partir de restrições dos traços que formam as raízes verbais, os quais também serão determinantes nos processos de atribuição e mudança de valência e voz assim como no processo de duplicação e supleção verbal. Após a análise referente à formação dos verbos apresentamos a formação de sentenças na língua juruna partindo do programa minimalista (chomsky 1995; 1998; 1999). Nesta seção apresentamos o processo de inserção de sujeitos (a partir de formas pronominais, demonstrativos e sintagmas nominais) em vp, discutimos os processos de concordância, analisamos a inserção de modo realis/ irrealis, bem como questões relacionadas a ordem sentencial, adjunção de advérbios e o paralelismo entre os planos nominal e verbal, a partir das questões associadas à cumulatividade e quantificação. O ponto central desta dissertação é, portanto, argumentar que todas as propriedades sintáticas da língua juruna decorrem essencialmente dos traços formadores de seus verbos. Desta forma, para a compreensão da sintaxe de uma língua é necessário compreender a estrutura argumental de seus verbos. 

Abstract: 

This dissertation describes and analyzes juruna (yudja) verbs based on argument structure and its syntactic consequences. We aim to offer to the juruna school useful material about verb classes and also to contribute to the advancement of language studies in the generativist framework. The dissertation is divided in two parts - description and analysis). The first is a description of 302 verbs in this language. In this part, we divided verbs in eighteen classes based on morphological, syntactic and semantic criteria established from phenomena present in juruna. These phenomena are: verb reduplication, semantic properties of roots and affixes, causativization and properties of roots that, associated to verbalizers, form verbs. We presented constructions and morphological operations that each verb described realize, for instance: valence alternation (by affixation or labile alternation), reduplication and suppletion and their functions in this language.  The second part of the dissertation - entitled “analysis” - presents a generativist account of some juruna facts described in the first part. To discuss verb formation we based ourselves on hale & keyser’s (1993; 2001) proposal that verbs are formed from two basic structures (monadic and dyadic) with verbal nuclei (v1 and v2) organized structurally and hierarchically. These structures are utilized parametrically, taking into consideration verbal root restrictions and syntactic and semantic traces. Supported by this theorical proposal, we argued that verbs in juruna are formed structurally based on restrictions of their root. These restrictions will also determine the process of attribution and change of valence and voice and the processes of verb duplication and suppletion in the language. After the analysis of verb formation, we present a hypothesis of sentence structure in juruna based on the minimalist program (chomsky 1995; 1998; 1999). In this section we discussed: 1) subject insertion (taking into consideration pronominal forms, demonstratives and nominal phrases) in vp; 2) agreement processes; 3) the insertion of mood realis/ irrealis; 4) sentential order; 5) adverbial adjunction and 6) the parallelism between nominal and verbal domains based on cumulativity and quantification. The central theoretical point of this dissertation is to argue in favor of the idea that syntactic properties may be explained, in large part, as a consequence of verb formation. In this sense, to understand the syntactic structure of a language it is essential to understand the argument structure of its verbs. 

AnexoTamanho
SuziLima.pdf46.21 MB