Graduação Pós-Graduação Pesquisa Extensão Biblioteca Intercâmbios Comunicação A FFLCH  
Skip to Content

Imagem

O fragmento romântico em O poema do frade

Autor(a): 
Manuella Miki Souza Araujo
Área: 
Literatura Brasileira
Ano: 
2014
Resumo / Abstract / Acta / Resumé / Riassunto
Resumo: 

A presente dissertação propõe examinar os traços de inacabamento na poética de Álvares de Azevedo e abordá-los segundo os fundamentos teóricos do gênero  fragmento. O poema do frade, objeto deste estudo, é uma composição narrativa muitas vezes relegada a uma posição secundária na fortuna crítica do poeta Álvares de Azevedo; esta apreciação negativa deriva, justamente, de seu estilo irregular e digressivo, encarado como defeituoso. O poema do frade é fortemente marcado pela mediação de um narrador irônico, inclinado ao discurso devaneante, pouco linear e repleto de discussões metapoéticas. No poema, a multiplicidade de assuntos, aparentemente descontínuos, é unificada na tematização de um grande debate estético acerca da impossibilidade da epopeia na modernidade. Diante disto, O poema do frade dialoga com o polêmico projeto de composição de uma grandiosa narrativa épica no Brasil oitocentista, patrocinado pela política imperial local e alimentado, em especial, pelos poetas ligados ao grupo indianista. Ao problematizar a viabilidade da epopeia em seu tempo, Álvares de Azevedo realiza uma revisão da tradição poética neoclássica bem como de sua própria poética, colocando em prática o princípio romântico de aproximação dos campos da crítica e da poesia, ou, em outras palavras, de assimilação da reflexão crítica no interior da própria obra de arte.  

Abstract: 

This dissertation aims at examining the unfinished traits in the poetry of Álvares de Azevedo, and approaching them using the theoretical fundaments of the genre “fragment”. The object of this study, O poema do frade, is a narrative composing which is constantly relegated to a secondary position in the poet’s critical fortune. This negative appreciation derives exactly from his digressive and irregular style, often seen as defective. O poema do frade is strongly characterized by the mediation of an ironic narrator, inclined to a rambling discourse, often nonlinear, and full of meta-poetic discussion. In the poem, the multiplicity of matters, apparently discontinuous, is unified in the thematization of a great aesthetic debate about the impossibility of an epic in the modernity. From this perspective, O poema do frade dialogues with the controversial project of composing an epic narrative in nineteenth-century Brazil, sponsored by the local imperial politics, and specially fed by the poets connected to the indianist movement. By questioning the epic feasibility in his time, Álvares de Azevedo performs a review of the neoclassical poetic tradition, as well as his own, applying the romantic principle of closing in the criticism and the poetry fields, or in other words, absorbing the critical reflection inside the work of art.

AnexoTamanho
pap_manuellamiki_08_10_2015.pdf1.16 MB